sábado, 25 de março de 2017

8 anos

Hoje fazemos 8 anos de namoro, tudo começou a 25 de março de 2009, e dura até hoje.
Desde que casámos, passámos a dar mais importância à data do casamento mas nunca esquecemos este (também) nosso dia.
Hoje, como é sábado, ainda podemos comemorar melhor o dia em que tudo se iniciou.
Parece que foi há muito tempo mas foi só há 8 anos, 96 meses, 2880 dias e 69120 horas que passámos juntos.
A caminhada não tem sido perfeita, nenhuma é, mas, já passámos por muita coisa juntos, umas boas e outras menos boas, já construímos muita coisa juntos e já descobrimos mais ainda, sempre juntos.
Obrigada meu querido Marquinho por estes 8 anos juntos!

amanhã será assim:


quinta-feira, 23 de março de 2017

Novo blog aqui ao lado

Tenho um novo blog para consulta diária aqui ao lado, chama-se O Meu Escritório é lá Fora!

É sobre viagens, a tal "coisa" que eu ando a ressacar, só precisava de um longo e quente banho de banheira, um fenomenal pequeno almoço, uma ou duas, vá, noites bem dormidas e descansar, só isso, parece simples, não é? Seria simples se a minha vida não fosse um espectáculo.

http://www.omeuescritorioelafora.pt/

quarta-feira, 22 de março de 2017

A minha vida é um espectáulo

Passo a vida em espectáculos.
Ou são ensaios abertos aqui no trabalho, que são da minha responsabilidade.
Ou são espectáculos infantis, promovidos aqui e que são da responsabilidade do meu colega.
Ou são espectáculos que temos de ver em Lisboa ou noutras cidades do país.
Ou são espectáculos promovidos pela Câmara Municipal.
Ou podem ser espectáculos que o movimento a que pertenço produz, noutra cidade e eu depois acabo por querê-los trazer a Montemor.
Enfim, a minha vida é um espectáculo constante!

terça-feira, 21 de março de 2017

segunda-feira, 20 de março de 2017

Onde estás tu, Catarina?

Esta noite, tive o privilégio de assistir à magnífica peça "Onde estás tu, Catarina?" brilhantemente interpretada por um grupo de mulheres, com base no texto "Revolução e Mulheres", de Maria Velho da Costa.
Obrigada a todas por este serão.
Em breve, numa sala em Montemor!




"Elas fizeram greves de braços caídos. Elas brigaram em casa para ir ao sindicato e à junta. Elas gritaram à vizinha que era fascista. Elas souberam dizer salário igual e creches e cantinas. Elas vieram para a rua de encarnado. Eles foram pedir para ali uma estrada de alcatrão e canos de água. Elas gritaram muito. Elas encheram as ruas de cravos. Elas disseram à mãe e à sogra que isso era dantes. Elas trouxeram alento e sopa aos quartéis e à rua. Elas foram para as portas de armas com os filhos ao colo. Elas ouviram faltar de uma grande mudança que ia entrar pelas casas. Elas choraram no cais agarradas aos filhos que vinham da guerra. Elas choraram de ver o pai a guerrear com o filho. Elas tiveram medo e foram e não foram. Elas aprenderam a mexer nos livros de contas e nas alfaias das herdades abandonadas. Elas dobraram em quatro um papel que levava dentro urna cruzinha laboriosa. Elas sentaram-se a falar à roda de uma mesa a ver como podia ser sem os patrões. Elas levantaram o braço nas grandes assembleias. Elas costuraram bandeiras e bordaram a fio amarelo pequenas foices e martelos. Elas disseram à mãe, segure-me aqui os cachopos, senhora, que a gente vai de camioneta a Lisboa dizer-lhes como é. Elas vieram dos arrebaldes com o fogão à cabeça ocupar uma parte de casa fechada. Elas estenderam roupa a cantar, com as armas que temos na mão. Elas diziam tu às pessoas com estudos e aos outros homens. Elas iam e não sabiam para aonde, mas que iam. Elas acendem o lume. Elas cortam o pão e aquecem o café esfriado. São elas que acordam pela manhã as bestas, os homens e as crianças adormecidas."

domingo, 19 de março de 2017

Vamos lá a mais uma semana!!!

Já aqui escrevi que gosto muito do que faço.
Também já aqui escrevi que cada vez mais sinto o tempo a passar cada vez mais depressa.
Hoje é domingo. Eu gosto de domingos. Foi um fim de semana cheio, como sempre.
Para além do que me propus fazer ontem, ainda passei a ferro e cozinhei.
Amanhã começa uma nova semana de trabalho.
Será profissional e pessoalmente, mais uma semana em cheio: muito trabalho, uma festa de aniversário, reuniões em Lisboa e a nossa peregrinação anual, que se vai realizar no domingo.
Boa semana para todos, a minha decerto que vai ser!!

sábado, 18 de março de 2017

Bom fim de semana!!

Não tem sido fácil passar por aqui.
A minha vida é mesmo muito ocupada.
Não me estou a queixar, é um facto e não me importo com ele.
Esta manhã será de trabalho, a tarde, logo se vê.
O serão será a tratar da decoração do local do almoço de amanhã.
E amanhã, será o almoço de aniversário do PCP.
Por outro lado, tenho de passar "por casa" (será sempre a minha casa) para ver da avó, temos de ir às compras e fazer a sobremesa para levar para o almoço e mais importante ainda, há que ter tempo para escrever o meu/nosso livro e mandar meia dúzia de email's que estão em falta.
E será assim, um fim de semana calminho, como sempre!!

quarta-feira, 15 de março de 2017

Quero ir passear!!!

Como já escrevi aqui, ando com muita vontade e necessidade de ir passear/descansar para fora daqui, nem que seja um dia ou dois.
Ando muito cansada e muito cheia de coisas, embora, com o passar do tempo, as coisas que me ocupam, vão ser ainda mais e nem saberei p vão começar a aumentar.
Só precisava de uma noite bem dormida, de um banho de imersão e de um pequeno almoço revigorante, se viesse por acréscimo uma massagem, isso sim, era programa completo.

No entanto, eu sei, estamos em contenção de despesas porque estamos a melhorar uma casa que comprámos e não pode ser mas, sonhar não custa!!

Eu e os doces, os doces e eu

Estive de dieta até quase ao final do ano.
Desde esse tempo, que tenho conseguido manter o peso que alcancei com a dieta.
No entanto, tenho um grande vício: os doces.
Em casa, é muito raro haver doces. No entanto, muitas das vezes que vamos às compras juntos, trazemos sempre um doce.
Gelado fora de época, também é costume haver lá por casa.
E jantares compostos por doces? Tipo, panquecas com gelado, também é costume.

Tenho um colega que e enche de doces, todos os dias.
No trabalho, também somos viciados em doces, pastel de nata, croassaints, gomas, entre outros.

Sou mesmo viciada em doces e se coca-cola for considerado doce, também pode ir para a lista.

E um bolo com leite frito? Sabe mesmo bem!!

Impossível resistir a doces, não há volta a dar!



terça-feira, 14 de março de 2017

domingo, 12 de março de 2017

Quinta-feira foi dia de guardar as roupas vermelhas

A minha roupa, sobretudo no inverno, é vermelha e preta.
No inverno de 2012, retirei as roupas vermelhas e guardei-as.
Este inverno está quase a acabar mas, na quinta-feira, tirei de novo as roupas vermelhas do armário.

A vida é mesmo assim, os pais e os avós cuidam dos filhos enquanto são pequenos.
Com crescimento e a evolução da vida, os filhos acabam por começar a cuidar dos pais e dos avós.
A minha vida tem sido assim, a cuidar dos pais e dos avós.
Ironicamente, dia da mulher, deixei de cuidar do meu avô materno.
Para mim, a vida é assim: depois do fim, resta-nos cuidar dos vivos.
E é assim que tenho feito desde quinta-feira.
Restou-me tirar a roupa vermelha, por respeito a quem partiu.

terça-feira, 7 de março de 2017

Anafar

a·na·far 
(anafa + -ar)
verbo transitivo
1. Alimentar com anafa.
2. Tornar anafado. = ENGORDAR


"anafar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa 



Anafar é um dos gestos mais queridos que me lembro que os meus pais me faziam, quando era pequena, no inverno.

No entanto, ainda gosto que me anafem.
E no que consiste anafar, perguntam vocês?
Bem, consiste em meter a roupa da cama bem debaixo do colchão, logo, mais fica mais apertadinha, é isto, anafar, e sabe tão bem!!

segunda-feira, 6 de março de 2017

Ausências de fim de semana

Foi um fim de semana complexo e atípico.
Sábado, foi dia de fazer limpeza e visitar o avô.
À noite, o jantar foi do melhor: pizza feita em casa, pelo melhor cozinheiro de pizzas que conheço.
Domingo, saímos cedo, fomos fazer umas compras chatas mas que têm de ser feitas, para a casa nova.
Fim de semana pouco produtivo mas muito cansativo.

sexta-feira, 3 de março de 2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

As coisas que me dão

Os meus pais vivem no campo, portanto, tudo o que naturalmente vem do campo, eu tenho: ovos, galinhas, frangos, patos, verduras, linguiças, farinheiras, etc, etc.
No entanto, há muitas mais coisas que me chegam a casa.
Outro dia, a vizinha, que agora tem uma horta, deu-me nabo, coentros e couve flôr.
Ontem, deu-me mais uma couve.
Hoje então foi uma avalanche: os amigos e vizinhos, pais das sobrinhas gémeas, deram-me três bezugos, directamente do mar, que amanhei e preparei, para assar no forno.
O tio veio cá a casa e deixou: um molho de espigos, um molho de nabiças e um molho de agriões!
A minha noite terminou a arranjar o peixe e a fazer sopa de feijão com nabiça!
Agradeço sempre todas as ofertas e também tento dividir sempre o que recebo com quem me rodeia!

quarta-feira, 1 de março de 2017

1 de março

Chegou o mês de março.
Gosto do mês de março.
O mês de março é quando começa a primavera, embora eu goste do inverno.

Dia 1 de março é feriado em Tomar, terra onde vivi e estudei (não sei se será esta ordem correcta) durante 6 anos.
Dia 8 de março é feriado em Montemor, dia da cidade, de São João de Deus e Dia Internacional da Mulher.

Hoje, dia 1 de março, é o início de um novo ciclo para o marido da amiga, e também amigo que, depois de algum tempo sem trabalhar, recomeça hoje no mundo laboral.
Hoje, dia 1 de março, a mana também começa num novo emprego, com mais e melhores vantagens.

Março é o mês em que começámos a namorar, em 2009.
Março era o mês em que o meu avô fazia anos.
Março é o mês de aniversário do PCP.
Março é quase sempre o mês em que se realiza a peregrinação que eu ajudo a organizar.
Março vai ser o mês em que vou terminar de escrever o meu livro.

Gosto do mês de março.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Hoje, entre outras coisas, é dia de escrever

Pois bem, há que aproveitar todas os momentos livres, ou mesmo criá-los, para continuar a pesquisa e escrita do nosso livro, o qual deverá estar no bom caminho, daqui a um mês.
É verdade, o tempo livre é sempre escasso para mim, as actividades e os afazeres abundam na minha vida.
No entanto, é uma questão de organização.
Hoje escrevo, tenho tempo.
Amanhã não posso escrever.
Hoje consigo escrever à tarde, amanhã só ao serão.
E assim vai decorrendo a escrita.

Tem sido mesmo muito enriquecedor, saber quem foram as pessoas que deram nome às ruas onde passei durante toda a minha vida.

De tempos a tempos, vou continuando a dar informação do desenrolar da escrita!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O que vestir?

Este é um problema que me persegue, praticamente todos os dias tenho este problema.
Nos últimos tempos, a temperatura tem estado bastante instável.
Eu já devia ter aprendido que não se usam camisolas de malha.
Ainda outro dia fiz essa asneira.
Já aprendi, mas ainda não coloquei em prática, que o ideal mesmo é termos várias camadas e assim, até é possível andarmos mais elegantes e bem vestidas, mesmo sendo inverno!
Vou tentar não me esquecer!

Não sei bem onde assentar arraiais

Há dias que a minha mesa da cozinha está tapada de livros.
Como todos sabem, estou a escrever um livro com a minha querida amiga vizinha de baixo.
No entanto, tenho uma dificuldade: a de não saber em que sítio da casa, posso estar melhor para escrever.

Tenho a mesa da cozinha, no entanto, tem imensas coisas que me distraem.
Tenho a escrivaninha no quarto mas, a cadeira não é confortável e não é bom ter desarrumação no quarto.
Por outro lado, tenho a tal camilha recuperada no quartinho e aí sim, deverá ser o meu escritório mas tem pouca luz.
Por fim, há o último andar da casa, onde é o escritório dele e onde a luz é imensa mas também não posso fazer desarrumação.
Só me resta mesmo arrumar o meu escritório/quarto, resolver a questão da luz e terminar o meu livro que tanto gosto me vai dar ver terminado e publicado.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Sábados

Há uns tempos, tínhamos decidido, cá em casa, apesar da(s) dieta(s), que o jantar de sábado seria sempre especial.
Depois, com o passar do tempo, a ideia esmoreceu-se.
No entanto, no mês de fevereiro, fomos muito rigorosos nesta questão: dia 4, fomos jantar fora, para comemorar a compra do carro novo, dia 11, fomos jantar a casa dos amigos T e A, dia 18, fomos jantar a casa dos amigos A e M e ontem fomos experimentar o restaurante que fica mais perto da nossa casa, ao qual nunca tínhamos ido mas que vamos voltar mais vezes. Comemos uns lombinhos com recheio de tâmaras, farinheira e queijo que estavam mesmo muito bons.
Venham mais sábados a aproveitar a vida, se for com amigos, tanto melhor!

Amigas

Eu já falei aqui, muitas vezes, sobre amizades.
Tenho alguns e muitos bons amigos.

Tenho uma amiga da primária, duas amigas do "liceu" e do secundário, uma amiga dos (maravilhosos) tempos de estudante.
Tenho amigas que vieram com o casamento e tenho amigas que "adquiri" em Montemor e no trabalho.
Tenho amigas mais velhas, com idade para serem minhas mães.
Por outro lado, tenho também amigas, de um grupo de mulheres que digiro, que têm idade para ser minhas avós.

No entanto, este texto recorda um episódio que tive há uns dias com uma amiga, daquelas que podia ser minha mãe. Essa minha amiga tem passado "as passas do Algarve", nos últimos tempos, por problemas familiares. Tenho falado muito com ela, nos últimos tempos, entendemo-nos muito bem e admiramo-nos mutuamente. Outro dia, encontrei-a e disse-lhe: essa roupa não te favorece, fecha, por favor o casaco para disfarçar. E ela respondeu-me: isso é mesmo ser amiga. Eu respondi: claro, as amigas têm de saber dizer: tens os dentes sujos, tens a meia rota, tens mau hálito.
Sim, as amigas servem para nos fazerem estar melhor!
Viva a amizade!

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Hoje foi assim


Um grande homem, António Gervásio, fez 90 anos.
O Gervásio é um homem que nunca baixou os braços para que o seu país alcançasse a Liberdade.
O Gervásio é, e continuará a ser, uma referência para todos nós, que lutamos todos os dias.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Avós e velhotes

Eu tomo conta de tudo o que diz respeito aos meus avós maternos.

Até eu ir para o 1º ano, nunca estive em nenhum infantário nem jardim de infância, fiquei com esses meus avós.
Portanto, no meu entender, agora, trata-se de uma inversão de papeis.
Isto tudo para dizer que a minha avó me está sempre a pedir desculpa por dar muito trabalho e eu digo-lhe sempre que não é trabalho nenhum, no fundo, eu entendo-o como um dever.

No entanto, como convivo com muitos outros velhotes, sobretudo senhoras, estou sempre a ouvi-las dizer que não gostam de dar trabalho aos filhos.
Não concordo mas, elas lá sabem as linhas com que se cozem...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Carnaval

O Carnaval, e este tipo de festas e comemorações em geral, dizem-me pouco ou nada, vocês já sabem.
Gosto da parte de ter uns dias para descansar, não a questão de não trabalhar, apenas descansar mesmo, que, por vezes, bem preciso, como agora.
Vai ser um fim de semana calmo (espero eu), uma segunda-feira igualmente calma e uma terça calmíssima, ou seja, tempo para me dedicar ao meu livro.
Vem mesmo a calhar, o Carnaval!!!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

As coisas que eu deixo em casa

De manhã, quando saio de casa para o trabalho, esqueço-me sempre de alguma coisa em casa.
Hoje foram os brincos, o Bepanthene e o telemóvel do trabalho!!
Outras coisas que me costumo esquecer: o almoço ou o lanche, os carregadores de telemóvel ou os próprios telemóveis, como aconteceu hoje com um deles. Já me aconteceu esquecer os óculos de sol, porque os óculos de ver, é impossível. E o relógio? É tão comum! Chaves, por acaso, é mesmo muito raro, mas também já aconteceu, chaves do carro, também é impossível.
Enfim, cabeça de atum!!!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Montemor-o-Novo

Gosto de viver numa terra sobre a qual é possível dizer:
Montemor-o-Novo uma terra para se viver com qualidade de vida!

Em suma, tenho muito orgulho na minha terra e de tudo o que se tem construído e executado por aqui!


Venham muitos mais anos para vivermos com qualidade!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Espectáculos e mais espectáculos

Hoje foi assim: Costurar Cantigas e Histórias com o projecto Taleguinho

Amanhã: O Mundo Interior de João Garcia Miguel com interpretação de João Paulo Santos

Pensar positivo, sempre!!!


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Novidades d'O Espaço do Tempo

Programação O Espaço Do Tempo Janeiro a Junho:
Espectáculos para toda a Família, 
Eventos em Montemor, 
Residências, 
Formação, 
Rui Horta Stage Works 
Cafetaria/Bar d'O Espaço do Tempo, a partir de 1 de maio


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Boas ideias cá de casa II

Tínhamos uma camilha que era vermelha, no quarto pequeno. O quarto teve umas pequenas obras e a camilha precisava de ser repintada. O Marquinho, como rapaz cheio de ideias que é, resolveu fazer uma experiência: colocou imagens bonitas de revistas na parte de baixo e no tampo (antes tinha pintado de branco as partes que não iam levar recortes). Depois dos recortes colados, foram aplicadas várias camadas de verniz. Este e o resultado final:







terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

A tentar fazer Turismo em Portugal

Durante muitos anos, quando íamos passear, ficávamos sempre alojados em Pousadas da Juventude, a opção mais barata, uma vez que não temos o hábito de acampar.
De há uns tempos para cá, essa opção tem sido colocada de lado, uma vez que as condições dessas pousadas são cada vez piores: velhas, sem internet ou se são novas, estão cheias de jovens barulhentos. Enfim, temos optado por outro tipo de alojamento, mais novo e consequentemente mais caro, é certo.
Desde que estivemos na Quinta da Ventuzela, em julho, que fiquei rendida ao sítio e à forma de receber mas, convenhamos que 65€ por noite, é mesmo muito caro.
Isto tudo para dizer que há uns tempos que pretendo preparar uma escapadinha mas que com os preços actuais, que tenho encontrado nos diversos alojamentos, não tem sido fácil concretiza-la, o alojamento em Portugal está mesmo muito caro!!

Feliz dias dos Namorados!!


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O fim de semana

Para este fim de semana, eu tinha decidido que seriam dois dias de pijama.
Obviamente, não foi possível, a minha vida é sempre muito ocupada.
No sábado de manhã, estive a fazer o meu turno na exposição  "Mais Direitos, Mais Futuro, Não à Precariedade", patente aqui em Montemor.
Depois, foi dia de almoçar com a mãe, a mana e o cunhado.
De tarde, fomos às compras e jantámos com um casal amigo, com o os quais não estávamos há muitos meses.
As minha compras:
Não tenho conseguido acertas com as malas, decidi procurar no site da Parfois uma espécie de saco; encontrei este e gostei muito de material, espero que tenha sido uma boa aposta.

Há já algum tempo que procurava um casaco novo, mas não como os últimos que tenho comprado, de fazenda, queria algo diferente e tamanho S, encontrei este, na Stradivarius,

Umas calças confortáveis e baratas, da Mango.

Faltou-me comprar umas meias de descanso, que ando com muita vontade de experimentar mas, ainda não foi desta.

No domingo, só saíamos para caminhar até ao Lidl e do Lidl para casa, de resto foi dia de meter pendentes em dia, de cozinhar, de passar a ferro, de preparar a semana e de preguiçar, se é que a palavra existe.
Boa semana!

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Idosos sozinhos

Ainda não disse aqui mas, desde o início do mês que o meu avô foi para um lar.
Tenho ido visitá-lo tantas vezes quanto me tem sido possível.
Já conheço muitos dos velhotes e velhotas que vivem à volta dele.
Inevitavelmente, converso com muitos deles.
Hoje conheci mais um casal e mais um exemplo de velhotes sem filhos.
Pelos vistos, era muito comum há muitos anos, não se ter filhos.
Chegando aos 70/80 anos, estes velhotes não têm filhos nem netos para os ir visitar.
Acho isso muito triste.
Se o meu avô estiver muito tempo no lar, gostava de compensar estes velhotes que agora conheci, de alguma forma, no entanto, para além de conversa e de um gesto de carinho, que coisas materiais poderemos dar a quem só tem as funcionárias do lar para lhes dar uma palavra ou um gesto de carinho?

sábado, 11 de fevereiro de 2017

10 dicas que pessoas organizadas fazem antes de dormir



Sabe aquelas pessoas que têm uma vida tão organizada que até dão alguma inveja da boa? Hoje trazemos para si alguns dos seus segredos para ter a casa e as tarefas sob controlo!

Sim, é verdade que no quotidiano o cansaço muitas vezes se sobrepõe à vontade de arrumar e organizar, mas também é verdade que ter uma casa minimamente organizada e funcional tem um efeito benéfico a todos os níveis da nossa vida.

Se para si ter uma casa imaculada é um ponto de honra descarte a leitura deste artigo. Mas se, tal como muitos de nós, tem dificuldade em controlar os brinquedos dos miúdos que ameaçam tomar toda a casa ou as roupas que insistem em não ir sozinhas para dentro dos armários esta lista de sugestões é de leitura obrigatória!

O que farão essas pessoas meticulosas e organizadas antes de ir dormir? Não estamos a referi-nos a vestir o pijama e a lavar os dentes, e sim às últimas tarefas que executam antes de se deitarem e que lhes facilitam a vida no dia a seguir. São coisas simples, que não tomam assim tanto tempo! Vamos descobri-las?

1. Deixar a cozinha arrumada
Nós sabemos que ao fim do dia custa um pouco, mas também sabemos que é desagradável acordar e não ter loiça para o pequeno-almoço porque está toda na pia por lavar!

Parece um conselho óbvio, mas não se deite sem pelo menos lavar a loiça ou colocá-la na máquina de lavar, arrumar os recipientes com alimentos e pôr o lixo na rua. O mínimo para que ao acordar não se depare com uma deprimente confusão na hora de preparar o pequeno-almoço.

2. Deixar a sala de estar arrumada
Muitas vezes a sala de estar é a primeira coisa que vemos depois de sair da zona dos quartos, até antes de entrar na cozinha. E entrar num espaço desarrumado logo pela manhã é começar o dia de forma pouco pró-ativa!

Antes de se ir deitar arrume as almofadas do sofá, dobre as mantas, recolha pratos e migalhas de snacks tardios. Muitas vezes é suficiente para ficar com um aspeto arrumado.

3. Preparar as coisas para a manhã seguinte
Esta dica é fundamental para evitar as confusões matinais, sobretudo em famílias com crianças!

Guardar uns minutos à noite para preparar lancheiras, marmitas, sacos de ginástica, óculos, ou outros itens de que vão precisar no dia seguinte é meio caminho andado para evitar atrasos, correrias e stresses de manhã.

4. Garanta que o chão está desimpedido
Para quem tem crianças esta sugestão não passa só por si, é muito importante envolver toda a gente e em especial as crianças. Quem nunca se levantou a meio da noite para ir ver um filho que chamou e deu um gemido de dor ao pisar um brinquedo que ficou no chão? Principalmente aquelas malditas pecinhas de uma marca tão conhecida, que são pequenas e podem passar despercebidas?

Antes de se deitar verifique que o chão dos quartos e as áreas de passagem estão desimpedidas, coloque as cadeiras e bancos nos sítios, guarde no seu lugar os sapatos que encontrar. Não só a sua casa vai ficar mais arrumada como vai tornar-se mais segura numa eventual saída de emergência.

E se arrumar os sapatos dos miúdos é um pesadelo diário resolva-o com as sugestões do artigo ’Onde arrumar os sapatos das crianças’.

5. Organize a sua secretária
Se tem uma mesa de trabalho nunca a deixe desarrumada. No dia seguinte a probabilidade de se esquecer de alguma coisa importante é muito maior!

6. Prepare a roupa para o dia seguinte
Acordar e ficar a olhar para o armário sem saber o que vestir é garantia de um começo de dia atribulado! Andar a correr para saber que roupa vestir às crianças antes de saírem para a escola e para o trabalho, ou aturar uma birra porque não quero esta camisola, vai fazê-lo chegar atrasado.

À noite escolha e deixe a sua roupa e a das crianças preparada. Se as crianças já forem grandes o suficiente para intervir na escolha da roupa envolva-os na preparação. Nunca deixe para a manhã do dia seguinte!

7. Recolha a roupa suja
Nunca deixe roupas sujas espalhadas. Rapidamente vai deixar de perceber o que está sujo e o que está limpo!

Antes de se deitar recolha a roupa suja e coloque-a no cesto da roupa suja. E não se esqueça de envolver toda a família nesta tarefa, eles melhor do que você saberá que peças estão sujas, além de lhe poupar tempo a si.

8. Faça uma lista de tarefas para o dia seguinte
Ninguém é infalível, sobretudo quando se está assoberbado de tarefas, por isso aponte! Faça uma lista das tarefas essenciais a fazer no dia seguinte. Vai sentir-se no controlo da sua vida, acabar com o medo de se esquecer de algo importante e vai conseguir dormir melhor.

9. Guarde as roupas que despir
Despiu-se, enfiou o pijama e está pronto para a caminha? Certo, mas não deixe a roupa que despiu em cima da cadeira! Guarde-as no roupeiro ou no closet. Verá que acordar num ambiente arejado, desimpedido e arrumado é muito gratificante, a melhor maneira de iniciar bem o seu dia.

10. Afaste-se dos écrãs na hora de dormir
UFF! Pronto o dia chegou ao fim e pode relaxar, mas evite os ecrãs na hora de dormir. Está provado que estes aparelhos dificultam a chegada do sono e tornam-no mais superficial, seja pelas radiações, por ruídos ou pela luz que emitem. Se possível não utilize equipamentos eletrónicos imediatamente antes de dormir, já na cama. Mas se não consegue resistir pelo menos não os deixe junto a si, a carregar durante a noite. Afaste essa tentação se acordar a meio da noite. Vai ter um sono mais calmo e organizar muito melhor a sua vida na manhã seguinte!

É uma pessoa organizada ou nem por isso? Qual destas coisas fica sempre por fazer na sua casa?

In: Homify

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O frio, a chuva e o vento

Eu gosto do Inverno.
Lembro-me de ir de noite para a escola e gostava muito.
Fui e vim muitas vezes para a escola a pé, a chover torrencialmente,
Quem me conhece, sabe que eu tenho uma teoria: no Verão, por mais que nos possamos despir, nunca ficamos confortáveis, no Inverno, para combater o frio, podemos sempre ficar quentinhos.
Embora o dia a dia do meu trabalho inclua andar na rua, não é a chuva, nem o frio nem o vento que e incomodam.
Estamos em fevereiro, é tempo de frio, chuva e de frio.
Este tempo permite-me ainda dormir com muita roupa na cama, como eu gosto.
Gosto do Inverno e pronto!!!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Projectos, projectos e mais projectos (e muitas borboletas na barriga)

Já aqui falei que 2017 vai ser um ano em grande:
- um livro
- um documentário
- uma cafetaria em part time
- eleições autárquicas
e mais coisas que possam surgir!!
Tenho uma amiga que, há muitos anos, ralhou comigo que eu não sabia dizer que não a nada e andar sempre ocupada, pois bem, eu continuo mesmo assim e para contrariar os anos de 2015 e de 2016, em que estive pouco activa, vamos lá ocupar 2017 com coisas boas e interessantes.
Assim, vou-vos contando, um a uma, como vai cada projecto!!
Aguardem novidades!!!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

5 RAZÕES PARA ACORDAR ÀS 6 HORAS DA MANHÃ

"Ao longo da nossa vida, já ouvimos inúmeras vezes o ditado “Deus ajuda a quem cedo madruga”. Minha educação foi baseada nesse princípio, e sempre procurei fazer o melhor e dedicar-me ao que mais gostava.

“Não durma para descansar, durma para sonhar. Porque os sonhos existem para serem realizados”.  – Walt Disney

Eghosa Aihie, blogueiro profissional, decidiu realizar um estudo para comprovar a veracidade desse hábito. O teste consistia em levantar-se às 06:00 horas da manhã todos os dias, durante dois anos.

Qual foi o resultado? Esta mudança de hábito conseguiu mudar a sua vida.

Depois de ler com atenção as 05 razões que o motivaram a se levantar mais cedo, decidi escrever este artigo. Convido vocês a tentarem essa mudança de hábito e compartilhar conosco o resultado.

Quais são as 5 razões para acordar às 6h da manhã?

1. Mais tempo para pensar no que deseja
Um dia, percebi que não conseguia alcançar minha metas porque eu não conseguia me concentrar o suficiente.

Ter tempo para organizar o seu dia facilita a sua vida. Você conseguirá focar sua energia nos afazeres diários sem perder tempo pensando em várias coisas.

Segundo alguns estudos científicos, está comprovado que nosso cérebro funciona melhor nas primeiras horas da manhã. Aproveite essas horas para trabalhar seu controle mental e fortalecer as emoções.

2. Mais tempo para organizar seu dia
Se você é uma pessoa que gosta de acordar cedo, terá mais tempo para organizar seu dia com antecedência e não se distrair. Dessa forma, conseguirá bons resultados, será muito mais eficaz e competente nos seus compromissos diários.

Além disso, se você planejar o seu dia com a mente cansada, corre o risco de cometer muitos erros. É melhor ter uma boa noite de sono e, no dia seguinte, com as “baterias recarregadas”, iniciar um dia de trabalho tranquilo e descansado.

3. É o horário perfeito para praticar exercícios
Acordando cedo, você não terá nenhuma desculpa para dizer que não tem tempo de praticar exercícios, trabalhar ou estudar. Dessa forma, terá algumas horas livres para praticar as atividades de sua preferência antes de começar seu dia de trabalho.

Além disso, praticar exercícios durante a manhã, libera endorfinas que irão ajudá-lo a desfrutar de um dia cheio de energia, alegria e positividade.

4. Para que serve o café da manhã? Agora você vai descobrir
Certamente você já ouviu muitas vezes que é importante tomar um bom café da manhã para desfrutar de um dia cheio de energia.

Lembre-se de que o seu corpo precisa de combustível para funcionar corretamente durante todo o dia.

Um estudo da Escola de Saúde Pública John Hopkins Bloomberg, demonstrou quetomar um café da manhã tranquilo é um hábito saudável e benéfico para o seu corpo.

5. É o segredo das pessoas bem-sucedidas
“Quem deseja prosperar, precisa acordar cedo.” – Anônimo

Muitas das pessoas mais bem-sucedidas da nossa sociedade, tanto pessoal quanto profissionalmente, têm o hábito de acordar antes das seis da manhã.

Jack Dorsey, fundador do Twiter, confirmou em uma entrevista para a Revista New York que seu dia começa às 5h30m. Ele usa essas primeiras horas da manhã para fazer meditação e correr alguns quilómetros.

O fundador do grupo Virgin, Richard Branson, em uma entrevista para o Business Insider, confirmou que acorda por volta das 5h45m para praticar desporto e tomar um bom café da manhã.

Definitivamente, levantar-se às 06h da manhã lhe permitirá ter um dia mais tranquilo e três passos à frente dos demais.

Você terá mais tempo para cuidar de si mesmo, conseguirá trabalhar de forma natural e eficiente, aumentará seu potencial criativo e desenvolverá sua segurança emocional.

Esse é o ingrediente perfeito para começar uma vida plena e saudável. Em breve, começarei a integrar esse hábito ao meu dia a dia. E você? Está animado?"

*retirado de um site brasileiro




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Favores de amigos

Há uma questão sobre a qual tenho pensado muito, de há uns tempos para cá.
Será que ajudarmos amigos ou darmos um amparo a um amigo, se se trata de um favor?
Eu acho que não.
Se somos amigos não há cá a questão do favor, ajudamos sem pensar que se trata de um favor, fazemos para o amigo, como se fosse para nós.
Esta é a minha opinião.
Será que estou errada? Acho que não. logo eu que adoro ajudar, tiro o meu casaco para dar ao vizinho do lado ou, se me dão batatas para eu dividir com  um amigo, dou as mais bonitas e fico com as mais feias!
Vivam os amigos e as pessoas que gostam de nós!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Finalmente deixámos de andar a pé:

Já cá temos um igual a este

Esquecimentos

Hoje vou-vos informar que sou uma pessoa mesmo muito esquecida.
E esqueço-me sobretudo de objectos do dia a dia.
Se eu pudesse, carregava comigo todos os dias um mundo de coisas.
Mas, há, sem dúvida, coisas que nos fazem mesmo falta e que eu me esqueço frequentemente.
Não é que seja fundamental mas esqueço-me muitas vezes de meter perfume ou de meter o relógio; hoje em dia, com os telemóveis e sobretudo porque trabalhamos grande parte do nosso dia em frente a computadores, os relógios não passam de acessórios, portanto, esqueço-me muitas vezes deles.
Esqueço-me da minha gota para o olho, que tenho de colocar três vezes por dia.
Esqueço-me dos fundamentais carregadores de telemóvel.
Já me esqueci dos próprios telemóveis em casa.
E ir às compras e não ter o cartão para pagar? Também já me aconteceu mas eu não sou pessoa de me envergonhar!
Outro dia, levei o almoço e esqueci-me das outras coisas que como ao longo do dia como o iogurte, a gelatina e o triângulo de queijo.
Esqueço-me frequentemente de muita coisa mas, ultimamente, não me tenho esquecido dos meus leitores!!!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Malas de mulheres

Lembro-me da minha mãe ter tido uma mala castanha de cabedal, anos e anos.
Pois bem, os tempos eram outros e a oferta não era muita, ou mesmo nenhuma.
Isto tudo para dizer que eu nunca tive uma mala que me satisfizesse totalmente.
Normalmente, escolho-as pela cor: pretas, vermelhas ou castanhas.
Tenho algumas malas mas, nenhuma que me satisfaça mesmo.
O pior de tudo, é que se são grandes, levam muita coisa e os objectos perdem-se lá dentro.
Se são de pequenas dimensões, levam pouco. (tenho uma carteira grande e ocupa logo quase todo o espaço).
Nesta fase, em que ainda não temos carro, e vou a pé para o trabalho, resolvi dividir o peso entre a mala e uma mochila, apesar de ser desportiva.
Este post serve sobretudo para eu tentar perceber se há mais mulheres, para além de mim, a sofrer do mesmo mal: não há malas que nos satisfaçam, ou seja, temos de andar sempre a comprar novas!!!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Boas ideias cá de casa

Quando temos visitas em casa, pela primeira vez, perguntam-nos quem nos desenhou e decorou a casa. Normalmente, olhamos um para o outro e rimo-nos. Sou sempre eu que digo "são ideias do Marco". E é verdade, o meu marido é cheio de ideias, boas ideias, melhor dizendo.
Mas, não são ideias que não possamos partilhar e que sejam assim tão fora do comum, basta ter uma mente a fervilhar. Algumas delas:
- não temos gás, o aquecimento é feito com um termoacumumlador/cilindro, o melhor disto é que a água quente do banho nunca acaba
- a máquina de lavar roupa, está no último andar, onde fica o terraço e onde estendemos a roupa
- as portas das divisões são de correr, para não ocupar espaço
- temos um pequeno espelho dentro do duche, acreditem, dá sempre jeito
- os quadros da electricidade e das restantes telecomunicações ocupam muito espaço numa das paredes e são, inevitavelmente, feios, estão tapados com um cortinado, como se de uma janela se tratasse
- a torneira da cozinha é extensível
- a porta de vidro do wc do rés do chão tanto abre para dentro como para fora, conforme a necessidade
- a bandeira da cama foi feita por nós, o que permite que o tecido seja mudado conforme as necessidades e mudanças
- o facto de termos optado por escadas em madeira, em detrimento da pedra, ajuda a que a casa seja mais quente, uma vez que a pedra é muito mais fria
Obviamente que também fizemos algumas opções incorrectas, prova disso é que em três anos que vivemos nesta casa, as mudanças já foram muitas, mas, realmente, as boas ideias, imperam aqui por casa.
Um dia destes, coloco umas fotos!!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Eu adoro chuva!!!


Das profundesas

A vida tem-me ensinado que a podemos e devemos levar ao sabor das circunstâncias.
O facto é que levei uma injecção de problemas da vida, no últimos tempos.
Então, tenho adoptado um discurso que não é político nem muito menos religioso, que apresento constantemente nas conversas que tenho com a família, no trabalho ou com as pessoas conhecidas que encontro na rua, a minha versão sobre como viver a vida.
Então:
Problemas, todos temos, com a família, no trabalho, no dia a dia.
Doenças: podem chegar a qualquer momento da vida, sejamos novos ou velhos e se, por acaso, conseguirmos viver com a doença, ficam sempre lembranças, uma depressão ou mesmo as pessoas à nossa volta que não nos deixam esquecer.
Sim, eu tenho uma doença que me acompanhará por toda a vida, ok, vivo com ela, faço a minha vida, é o que interessa mas, infelizmente, todos os dias, alguém me diz que estou melhor porque, realmente, quem olha para mim, não nota nada. Esqueço-me frequentemente do que passei, e do que vou ter para toda a vida, mas, obviamente as sequelas estão sempre cá e vão estar mas realmente, as pessoas à volta, e que encontro no meu dia a dia, não ajudam mesmo nada, acreditem!
Por tudo isto, com os problemas que todos temos, com as doenças que ao longo da vida surgem a cada um, é fundamental sermos felizes no amor e no trabalho, também já aqui falei disso.
Temos de ter uma boa base familiar, o que nem sempre acontece, e temos de ter um emprego que nos faça feliz e nos realize, onde façamos o que gostamos e possamos ser monetariamente compensados por isso.
De resto, apesar de termos problemas de diversas ordens, se formos felizes no amor e no trabalho, a vida é muito mais fácil.
Acrescido a isto, se aproveitarmos a vida ao máximo, todos nós, com ou sem problemas, porque ninguém sabe o dia de amanhã, tudo se torna mais fácil.
E o que é aproveitar a vida ao máximo?, perguntam vocês, então alguns exemplos de o que significa, para mim, uma vida bem aproveitada:
- dormir bem
- comer bem
- passear e viajar muito
- almoçar e jantar fora tantas vezes quanto possível
- relaxar, não estar sempre ocupada/o
- não viver a vida só a pensar que temos de poupar todo o dinheiro que ganhamos
- estar com aqueles amigos de quem gostamos muito, mesmo que virtualmente
- ler bons livros e ver bons filmes
- comprar boas roupas e bons acessórios
Parece tudo muito materialista, muito ambicioso mas, eu acredito que o dinheiro, para quem o tem, pode trazer felicidade e que devemos aproveitar as coisas boas da vida, enquanto ela nos permitir.
Tenho actualmente um casal de tios que trabalharam muito ao longo da vida, passearem muito, investiram muito, no entanto, por motivo de doença, estão ambos no hospital; hospital esse que é pago porque conseguiram fazer um pé de meia mas também viveram a vida deles. Como diz a minha tia "acabámos a vida com um Audi e um Mercedes".
Obviamente que a vida não se resume a carros de alta cilindrada mas, cada um de nós deve aproveitá-la da forma que ache melhor, porque a felicidade, essa, termina a qualquer momento!!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Amanhã vai ser assim:

Já sabem que eu adooorrrrooo pequenos almoços!!!

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Há imenso tempo que não falo da dieta

Pois bem, a dieta!

A dieta atingiu, há algum tempo, o seu objectivo: 58kg.
Eu pretendia atingir os 60kg mas a nutricionista disse, na primeira consulta, que poderia ir até aos 58kg.
Em três meses, atingi o objectivo, sem passar fome, o que para mim era o mais importante.
A 9 de setembro, na nutricionista, pesei 68,2kg.
A 23 de setembro, na nutricionista, pesei 64kg.
A 7 de outubro, na nutricionista, pesei 62,7kg.
Quando fui aos Açores fui e vim com 61kg pesados em casa, de manhã.
A 18 de novembro, na nutricionista, pesei 59,2kg e esta foi a minha última consulta, por volta dessa altura, comecei a pesar sempre cerca de 58kg em casa, de manhã, e, desde aí, que me tenho mantido com esse (fantástico) peso.

Para ser sincera, nos últimos tempos, desde há cerca de um mês, que não sigo a dieta à risca.
Já como coisas que não comia como torradas, bacalhau à brás, entre outras coisas, que não comi durante os meses da dieta mais rigorosa.
No entanto, mantenho sempre as regras básicas, digamos assim, da minha dieta: intestino a funcionar, 1,5l de água de Monchique, por dia, caminhar todos os dias, meio copo de água morna com 2/3 gotas de limão ao levantar e comer só 10min depois, comer só pão escuro com queijo light, beber leite de soja, beber um chá por dia e, ao longo do dia, os lanches são constituídos por iogurte magro, gelatinas, galetes, queijo Vaca que ri, também magro, como mais vegetais e mais salada e como sopa sem batata e sem cenoura, já coloco alguma abóbora.
Descobri alimentos novos como a granola, a do Continente é mesmo muito boa, a batata doce, o chá de hibiscos, entre outros.
Ou seja, atingi o meu objectivo e, sem seguir a dieta a 100%, tenho conseguido manter o peso que consegui atingir!!

Ah, e tenho dado a "receita" a muita gente!!



segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Lavre



Felizmente, conheço bem o meu concelho.
Fruto das inúmeras iniciativas que nele decorrem e também das muitas campanhas políticas em que participei.
Dia 15, foi dia de rumar até Lavre.
Lavre está indissociavelmente ligada a José Saramago uma vez que foi nesta vila do concelho que Montemor que o escritor viveu e escreveu o seu livro "Levantado do Chão".

domingo, 22 de janeiro de 2017

Arrumar a casa

Cá em casa somos só dois, ou melhor, três!
Apesar de sermos poucos, como eu já aqui disse, a nossa casa está sempre um caos.
Eu adoro estar sozinha em casa mas, com um marido que trabalha praticamente sempre em casa,
é difícil, é mais fácil ser ao contrário, porque eu passo a vida em compromissos!!
Nos últimos tempos, nos raros momentos em que tenho estado sozinha em casa, tem-me dado sempre para arrumar a casa.
Conclusão: vou ter de expulsar o marido mais vezes de casa se a quero arrumada!!

sábado, 21 de janeiro de 2017

"Não tenho fome"

Ora aqui está uma frase que eu nunca digo.
Não há nada que me tire a fome ou o sono.
Estou sempre pronta para comer.
Escrevo isto porque há pessoas que por vezes dizem que não almoçaram ou não jantaram porque não tinham fome.
Eu, fome, ou melhor, vontade de comer, tenho sempre, porque, fome, é outra coisa!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Quando podes estar na profissão errada

Quarta-feira, houve uma pessoa, com a qual tive uma breve conversa, que me fez pensar que, se calhar, eu deveria correr o país a dar palestras de motivação e optimismo, mas, sobre esse assunto, hei-de voltar a falar aqui.
Ontem, a minha irmã diz-me que eu deveria ser comercial.
Para que conste, eu gosto muito do que faço e estou muito bem na minha profissão de produtora!!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

A vizinha, amiga e companheira de vida

Pois bem, hoje é 19 de janeiro.
Uma data muito importante porque a minha vizinha de baixo, atenta leitora deste blog, mais do que amiga, daquelas amigas mesmo e uma companheira para toda a minha vida, faz anos!!!
Como amiga, só lhe posso desejar, daqui até à lua e da lua, até aqui, em dobro do que desejo para mim.
Parabéns Nela!!!

1 de outubro de 2011

10 erros de português que acabam com a sua credibilidade

A forma como escrevemos tem um impacto fundamental na nossa credibilidade. Receber um email ou um orçamento com erros leva-nos a questionar, mesmo que inconscientemente, a competência de quem está do outro lado. No caso das empresas, quando há erros no site ou nos posts partilhados nas redes sociais, é a credibilidade da empresa que está em causa.

Na minha rotina de trabalho a ler e escrever há erros que vejo quase todos os dias. Listei-os para que não o apanhem a si também. Tome nota.

1. Há / à

A confusão entre o há com “h”, presente do verbo haver, e o à, sem “h”, que é a contração da preposição “a” com o artigo definido no feminino singular “a”, atrapalha muita gente. Uma dica que pode ajudar: se for possível substituir a expressão pelo verbo ”existir” (sinónimo de haver) ou a frase implicar tempo, devemos usar “há”.

Exemplos: Há várias opções de cor. A empresa funciona há dez anos.

 2. Ir de encontro / ir ao encontro de

Vejo muitas vezes este erro em propostas para clientes e emails que se pretendem mais formais, momentos em que não convém mesmo escrever com erros. Mas qual é o problema? Quando escrevemos “ir de encontro” para indicar que estamos em sintonia com a outra parte, estamos na verdade a dizer o contrário. A expressão correta a usar é “ir ao encontro de”.

Exemplo: Esperamos que esta proposta vá de encontro aos seus objetivos (estamos a dizer: seja oposta). Esperamos que esta proposta vá ao encontro dos seus objetivos (forma correta).

 3. Há dois anos atrás / Na minha opinião pessoal

Estas redundâncias não são propriamente erros, mas a bem da simplicidade não há necessidade deste reforço. Basta escrever “Há dois anos” ou “Na minha opinião”. Afinal, todas as opiniões são pessoais. As frases ficam mais simples, mais curtas e são entendidas mais facilmente.

 4. “Ciclo” vicioso

Esta é mais uma daquelas expressões que se usa em relatórios e documentos quando se quer impressionar. O problema é que a expressão “ciclo vicioso” está errada. A forma correta é “círculo vicioso”.

 5. Tivesse / estivesse

A confusão entre o “tivesse” e “estivesse” está no chat do Facebook quando falamos com os nossos amigos, mas infelizmente está também nos posts que muitas marcas fazem na mesma rede. As duas formas estão corretas, mas enquanto “tivesse” deriva do verbo ter, “estivesse” é uma conjugação do verbo estar.

Exemplo: Se eu tivesse mais tempo e estivesse em Lisboa gostava de sair convosco.

 6. Gratuítamente /obrigatóriamente

Os advérbios de modo terminados em “mente” não levam acento. E não há exceções. Portanto, obrigatoriamente, gratuitamente, rapidamente, acentuadamente, facilmente, felizmente, etc. nunca são acentuados. Fácil.

7. ás / às

É comum sermos informados que o melhor horário para a reunião é das 14h “ás” 15h00 ou vermos num site de um restaurante que está aberto das 19h00 “ás” 23h00. “Ás” com acento agudo está relacionado com o universo do jogo (ás de espadas, p. ex.) ou pode ser usado para designar alguém que é muito bom em determinada atividade. Quando nos referimos a espaço ou tempo o acento deve ser grave (às).

Exemplo: Temos reunião das 14h00 às 15h00. Portanto, em horários o acento é sempre grave.

8. Contatos / Contactos

Quando visito um site português que tem o item de menu de contactos sem “c” fico logo nervosa. Em Portugal, apesar do acordo ortográfico, contactos mantém o “c”, dado que pronunciamos essa consoante.

9. Fãn

Este erro tornou-se muito comum com as redes sociais. As páginas têm fãs e eu posso ser fã de alguém ou de alguma coisa. As palavras fãn e fãns não existem. “Fan” e “fans” (sem acento) são palavras em inglês.

10. Fala-se / Falasse

Mais um erro que povoa os chats nas redes sociais, mas infelizmente salta para sites, emails e posts de marcas. Fala-se é uma forma do presente do indicativo e refere-se a uma ação real. Falasse é uma forma do imperfeito do conjuntivo e designa uma ação provável.

Exemplo: Hoje fala-se muito de política, mas gostava/gostaria que se falasse mais de economia.

Um truque dos professores de português para não errar: construir a frase na negativa: “Hoje não se fala muito de política. Gostava que não se falasse de economia”. Se o “se” muda de lugar, significa que é separado por hífen.

E desse lado, como é a sua relação com o português? Há erros que não desculpa?

Vamos continuar a partilhar conhecimento? Siga-me também no Facebook.

[ este post foi originalmente publicado em www.elsafernandes.com ]



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Tudo tem um princípio e um fim

Em junho de 2012, comprámos o Juke, como escrevi aqui.
Hoje foi o dia de nos despedirmos dele.

Quando vier um substituto, aviso.
Agora é hora de interiorizar que vou estar sem carro uns dias.



Bom dia! (com frio)


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Precisava mesmo

De um destes 12 destinos porque, um deles, já conheci.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Doces, doces e mais doces

Doces, para mim, são uma perdição.
Apesar de estar em semi-dieta, na quinta, comi fatias douradas, na sexta, comi um pastel de nata e sábado, comi duas fatias de mel caseiro e meio mousse de chocolate branco.
Hoje não comi nada e amanhã já tenho uma ou duas fatias de bolo de laranja prometidas e arroz doce!

Se me mantiver assim, sou uma pessoa feliz: com o peso ideal e a trincar um doce por dia.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Temos de nos agasalhar bem nos próximos dias


Temperatura mínima de -2º dia 19, quinta feira!!!

Cego coloca câmara em cão guia

Impressionante!!
Para ler aqui.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

A minha biblioteca

Todos temos uma biblioteca ou, uma colecção de livros.
Eu posso dizer que tenho uma mistura.
Acredito que esta casa onde vivo actualmente não será a casa onde vou passar o resto dos meus dias e, por isso, ainda espero um dia poder juntar todos os meus livros numa biblioteca digna desse nome.
Assim, eu tenho uma estante onde tenho grande parte dos meus livros e está organizada da seguinte forma:
- literatura estrangeira (é a maior parte)
- literatura portuguesa
- história universal
- história de Portugal
- fundo local e regional
- livros de Turismo
- livros e receitas de culinária (que estão na cozinha)
- enciclopédias e dicionários.

Todos os dias trabalho para que a minha biblioteca cresça e não me desfaço de um livro sequer, antes pelo contrário.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Relações e ralações

Famílias, cada um tem a sua.
Eu tenho.
Tu tens.
Ele tens.
Nós temos.
Vós tendes.
Eles têm.
No entanto também há famílias em que:
Os pais não falam com filhos.
Os irmãos não se falam.
Os tios e sobrinhos não se falam.
Enfim, é inevitável, por vezes.
E problemas, de todos os níveis, todas as famílias também os têm.
E se há famílias, todas têm os seus elementos, e todos os seus elementos têm a sua maneira de ser e de ver a vida.
Sogros e pais, todos os casais, regra geral, os têm.
Os nossos pais são e serão sempre os nossos pais e os nossos sogros são e serão os pais do meu marido.
É muito raro que os sogros tratem os maridos das filhas ou as mulheres dos filhos como filhas e como filhos, infelizmente, existe pouco.
Há pais, com mais do que um filho, que os tratam de maneira diferente, há.
Há pessoas mais chegadas e pessoas mais desapegadas, sem dúvida.
Há pais galinha que querem saber tudo e pais que nem se lembram que têm filhos, só lá de longe a longe.
Há pais que ajudam financeiramente os filhos, quer eles precisem, quer não precisem, conheço muitos casais amigos em que isso acontece.
Há pais sempre metidos na casa e na vida dos filhos e há pais que nem presentes de aniversário e de Natal dão aos filhos.
Volto a dizer, famílias e problemas, cada um com os seus.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Os electrodomésticos cá de casa II

Escrevi aqui há um mês sobre este assunto.
No último fim de semana, resolvemos investir: comprámos uma torradeira e um jarro eléctrico, no Lidl, obviamente.
A torradeira, que ainda funcionava, foi oferecida ao vizinho do lado que faz umas pequenas reparações em electrodomésticos e ainda lhe pode aproveitar umas peças.
O jarro eléctrico foi passear até ao escritório do Marquinho, em Évora, para uns chás, depois de almoço.

Falta-nos, por agora, renovar o aspirador e o ferro de engomar.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Organização e Arrumação

São duas palavras que gosto muito mas, organizar e arrumar, são duas actividades que nem sempre pratico, tanto em casa, como no trabalho.
No domingo levantei-me a meio da manhã e fiquei sozinha em casa.
Tentei arrumar e organizar a minha casa como se fosse receber pessoas importantes, no entanto, era o que devíamos fazer todos os dias cá em casa.
Confesso que sou muito desmazelada e não deveria.
Cada coisa que pego, fica fora do sítio.
Não pode e não deve ser assim.
Por exemplo, arrumar a cozinha à noite, é uma coisa que não pratico.
Suja, limpa.
Abre, fecha.
Desarruma, arruma.
E por aí adiante.
Prometo, vou tentar fazer mais e melhor neste sentido.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Quem sabe um dia irei lá

Para ler aqui um artigo sobre São Tomé e Príncipe.

Sobre escovas de dentes

Eu sou da opinião que todos nós deveríamos ter especial atenção à saúde oral mas, infelizmente, isso não acontece.

Diariamente nos cruzamos com pessoas com dentes tortos, com dentes com manchas e pessoas com mau hálito.

Eu não tomo 100% de atenção à minha saúde oral, também confesso, porque me descuido mais do que deveria.
Toda a minha vida lavei os dentes com escovas normais, manuais.
No entanto, a minha vida mudou desde que experimentei uma escova de dentes eléctrica.
Realmente, é outro mundo, limpa mil vezes melhor que as restantes.
Aconselho a todos, desde há uns dias que a minha saúde oral melhorou, e muito!

domingo, 8 de janeiro de 2017

Eu podia ter uma espécie de restaurante - parte 1

Com a ajuda da minha amiga Bimby, eu podia ter uma espécie de restaurante.

Se eu conseguisse, ao domingo, fazia a comida para toda a semana mas, ainda nunca testei quanto tempo certas comidas aguentam cozinhadas, no frigorífico.

Mas, hoje, quase que fiz um pleno:

- cozi meio frango (os meus frangos são grandes), fiz massinha de frango com natas que dá para três ou quatro vezes, tirei parte da perna cozida para almoçar um dia, com salada, e deixei carne desfiada e caldo para fazer uma canja/sopa.
- preparei um refogado já com o bacalhau, para um bacalhau à brás, para uma ou duas refeições, ao qual só vai ser preciso juntar batata palha e ovo. (na Bimby).

Boa semana!!!

Uma possivel ideia para O Espaço do Tempo trazer para Montemor

Para ler aqui como algumas pessoas recebem graciosamente artistas em casa.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Fim de semana

Gostaria que os meus sábados e domingos fossem sempre, ou quase, sempre a fazer nada.
No entanto, isso é sempre impossível.
No entanto, hoje, consegui, imaginem, dormir até ao meio dia, soube mesmo bem.
Mas, como ontem não fiz a minha parte da limpeza, tive de a fazer hoje.
Já passei a ferro, para não ter de o fazer amanhã. Já arrumei muita roupa, para amanhã só decidir a roupa para vestir na segunda-feira.
Hoje, tive também de fazer o almoço e, amanhã, vou ter de fazer comida para pelo menos almoçar segunda-feira, e alinhar os almoços dos dias que se seguem.
Por agora, consigo estar em sossego, a escrever, ao calor do lume.
Bom resto de fim de semana!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Dia 5

Ontem foi dia de voltar a fazer o bem em prol dos outros.
Melhor explicando, saí do trabalho logo depois de almoço e fui "fretar" uma ambulância para levar o meu avô a mais e melhores cuidados médicos do que os que tem em casa.
Mais uma viagem, como tantas que tenho feito, às urgências em Montemor cujas funcionárias me tratam (já) pelo nome...
Depois disso, voltei a fretar mais uma ambulância de forma a passar umas boas horas nas urgências em Évora.
Ontem, aquilo estava o chamado caos: macas por todo o lado, pessoas a demorarem 4, 5 e 6 horas para serem atendidas, pessoas com máscaras, doentes acidentados e profissionais mais simpáticos, e que nos tratam bem, e outros que nem por isso.
Como já sabia ao que ia, levei alguma comida e carregadores de telemóvel, porque felizmente, tanto em Montemor como é Évora já dispomos do Wifi-Utente, ao menos isso.
Emprestei um dos carregadores a uma rapariga que, tal como eu, estava a acompanhar um familiar, sem saber se a ia voltar a ver e se ela mo iria devolver.
Estive quase a apanhar com a minha mão uns lenços de papel que estavam no chão mas acabei por não o fazer porque a mesma rapariga me alertou para o possível perigo de fazer tal acção.
Conversei com quem precisava de conversar.
Acabei porque comprar uma revista mas que pouco li, porque naquelas situações estamos sempre atentos às chamadas, em alta voz, de acompanhantes e doentes.
Ouvi, através das colunas dessas chamadas, alguém que desligou mal o microfone e que nos deixou a ouvir o sinal de que estaria a falar com alguém através do msn.
Enfim, perto das 2h da manhã terminei a minha missão, cheguei a casa e pensei que hoje é um novo dia, cheio de novos desafios.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Dia 1

O meu dia a dia é sempre a tentar fazer o bem.
A minha tentativa de fazer o bem dia 1 foi ir até ao hospital para fazer companhia a minha tia que está com a saúde em baixo há uns meses e cuja recuperação não está fácil, para uma pessoa ainda nova como ela.
Espero que melhores dias venham!!

domingo, 1 de janeiro de 2017

Destralhar, destralhar e voltar a destralhar

Eu sou, definitivamente, uma pessoa muito apegada às coisas.
Por outro lado, sou daquelas pessoas que, para casa, nem que sejam pedras.
Portanto, como podem imaginar, a minha casa está cheia até ao tecto, ou melhor, estava.
Nestas férias, propus-me a fazer umas limpezas mais a fundo e umas inevitáveis arrumações, consequência das constantes obras cá de casa.
Ganhei coragem e deitei mesmo muita coisa fora.
Assumo que é uma tarefa que me custa muito e que tem mesmo de ser feita por mim, quando se trata das minhas coisas.
Esta questão tem-me marcado toda a vida, recordo os dias em descobri que a minha mãe me deitou fora alguns brinquedos, aproveitando a minha ausência, e, pior que isso, o dia em que descobri que me deitou fora a minha colecção de pacotes de açúcar, uma autêntica tragédia, como devem imaginar.
Mais recentemente, o Marquinho imaginou que poderia deitar fora uns papeis meus, coitado, eu ia tendo um AVC ao mesmo tempo que pedia o divórcio, mas tudo acabou em bem quando se percebeu que os ditos papeis ainda estavam cá em casa, apesar de estarem do lixo e, portanto, facilmente recuperáveis.
Isto tudo para dizer que, nestes dias, interiorizei o facto de não valer a pena guardar recuerdos com mais de 25 anos, ou mesmo dos tempos da Universidade, hoje em dia, pouco ou nada significam porque são tempos que já lá vão.
Com esta interiorização, acredito que, gradualmente, a minha casa vai começar a ficar mais vazia e eu vou conseguir destralhar mais facilmente.

365 dias e 365 oportunidades se iniciam hoje


sábado, 31 de dezembro de 2016

A gente vai continuar

Neste último dia do ano, já ao final do dia, chegou o momento de fazer o "tal" balanço.
Muitos o têm feito no facebook, eu prefiro fazê-lo aqui.
Fui ver o balanço de 2015 e o de 2014 e até o de 2013 (pensava que não tinha feito).
A conclusão mais evidente é que em cada ano o meu balanço tem um texto maior.
2016 foi mesmo o pior ano da minha vida, coisa normal quando se descobre que vamos ter uma doença que nos vai acompanhar até ao final dos nossos dias.
Voltei ao activo só em maio, portanto quase a meio do ano.
Consegui, apesar de tudo, ter umas férias fantásticas e ter andado de avião pela primeira vez.
Outro dos feitos importantes, apesar de não saber como o alcancei, foi o aumento das visualizações deste blog, obrigada ao meu leitores diários, que passaram de 30 para 300!!!
Não consegui, e já falei disso, voltar a ler mais.
Ainda não foi este ano que curei os males dos pés e acho que até já me esqueci.
Uma das minhas maiores vitórias, para além de conseguir fazer uma vida praticamente normal, apesar da minha doença, foi ter perdido mais de 10kg. Obviamente com ajuda mas, não deixa de ter mérito.
Os espectáculos que vimos foram igualmente muitos e de boa qualidade.
Quanto à política, está cada vez mais presente na minha vida e o ano de 2017 vai trazer um novo e grande desafio para vencer.
Outra novidade positiva foi que me maquilhei, nestes últimos meses, praticamente todos os dias; aprendi a gostar mais de mim e de me "compor" cada vez mais.
Tal como prometido, fomos dois dias à Festa do Avante! Pode não ser muito relevante para quem nunca lá foi mas, quem lá vai todos os anos, tem sempre mais vontade de voltar.
A Bimby é cada vez mais nossa amiga e continua a trabalhar constantemente, sem se queixar e eu a agradecer.
Outra das coisas boas de 2016, foram duas sobrinhas emprestadas e lindas que ganhei, em agosto, e que são a luz dos olhos das suas tias todas e sobretudo da família delas.
Os projectos para 2017 são muitos e com fasquias muito altas, por isso, espero que em 2016, e nestes último dias, tenha dormido muito e o suficiente, pois, tenho um pressentimento que este novo ano vai trazer muita coisa, que já aqui falei e outras que ainda estão na manga.
Em 2016, tentei aproveitar a vida ao máximo, falei aqui muito disso também.
Por fim, gostaria de falar dos amigos.
Os amigos são a família que escolhemos e existem muitos, para mim que são bem mais do que família, porque a vida assim o proporcionou, porque estão perto de nós todos os dias ou porque nos dão força todos os dias. Não me vou estender muito porque eles sabem quem são e quem me ajuda todos os dias a caminhar porque, "enquanto houver estrada para andar, agente vai continuar".
Obrigada a todas as pessoas boas que me rodeiam e das quais gosto muito, desejo-lhes saúde, porque esta é mesmo o mais importante.
Deixo-vos com a minha música favorita:

(desejo também muita saúde ao Jorge Palma)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Susana Cigarro II

Já aqui falei da Susana, uma talentosa chef da nossa terra e que tem sido uma grande amiga, nestes últimos tempos. Mais uma vez a prova de que só quando conhecemos verdadeiramente as pessoas, poderemos tirar ilações acerca da sua personalidade.

Assim, volto a escrever acerca da talentosa Susana para vos mostar mais um projecto que ela integra: a Supper Stars, que é um projeto para levar as melhores Experiências Gastronómicas ao mais exclusivo dos cenários: a casa de cada um de nós. 

Nesta página pode ver as especialidades que a Susana pode levar à sua casa!

Passagem de ano

Pelo segundo ano consecutivo, vamos passar o ano, a dois, em casa.
Apesar de parecer solitário, não será nada disso porque, hoje em dia, só está isolado quem quer.
Ficar em casa permite-nos estar totalmente à nossa vontade, dentro dos nossos gostos.
Será um dia, e uma noite, a comermos e a bebermos o que mais gostamos!
As propostas são sempre muitas mas o facto de podermos ser nós a decidir, tem muito peso, sobretudo para ele, que é um rapaz cheio das suas ideias. Não é que não gostemos de estar em família ou com amigos mas também gostamos do nosso sossego e da tranquilidade caseira.

Bom ano para todos os meus leitores, que passem a noite da melhor forma que vos for possível.
E, como diz a minha avó, se estivermos bêbedos, temos a cama muito perto!!!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Tradições importadas

Passei a noite de dia 24 com familiares que viverem em Inglaterra.
Então, seguindo uma espécie de tradição daquele país, tínhamos todos, debaixo dos pratos, uma raspadinha.
Raspei e sairam-me dois euros.
Troquei-a por duas raspadinhas de um euro, não me saiu nada!!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Férias

Cá por casa, estamos de férias.
Como ele disse: agora é todos os dias sábado.
Estas férias seriam para encerrar capítulos, leia-se manutenções cá de casa.
As férias ainda não terminaram mas acredito que não vamos atingir todos os objectivos, porque descansar também faz falta.
Boas férias a quem as está a gozar e bom trabalho para quem não teve direito a elas.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O que prometi e não compri

Neste link está o texto de balanço do ano 2015.

Ainda não é desta que vou apresentar o balanço de 2016.
Por agora, vou só reler e perceber que não cumpri:
Não li tanto como queria e também não curei os males do meus pés; mas, sem contar com o pior de tudo que falarei no balanço, daqui a uns dias, vou um bom ano, com coisas muito positivas.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Muito bom


Quem segue o blog da Pipoca, como eu, já sabe com o que pode contar.
Só hoje vi esta mensagem que publicou na véspera de Natal.
Gosto sobretudo da sinceridade.
No Natal enchemos a barriga de doces e comidas que só nos fazem mal.
Os putos, inevitavelmente, são os reis do Natal e vibram com tudo, sobretudo com os presentes que recebem "às carradas".
Sim, por acaso, e só por acaso, eu vejo a Única Mulher, mas, espero que seja a última novela que vejo (falta uns dias para acabar).
A parte da cunhada irritante, foi mesmo a minha preferida.
Espero que tenham passado um bom natal que, felizmente, já está lá atrás.

domingo, 25 de dezembro de 2016

Montemor está na moda II

Para ler aqui o texto do The Washington Times, onde se escreve que nas ruínas do Castelo de Montemor se pode fazer uma viagem ao passado.
Nem tudo é mau, apesar de o Castelo estar em ruínas.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Os planos para esta época

Ontem, cedo e assim de repente, decidi: vou dormir, e adormeci em segundos. Dormir é uma das coisas que mais gosto e que quero aproveitar nestes dias sem trabalho. Por outro lado, houve necessidade de cozinhar para quem não cozinha e fazer alguns doces para levar para o jantar de Natal. Arrumações e limpezas também estão na calha, inevitavelmente, uma vez que na nossa casa há sempre uma obra ou uma bricolage a ser feita. Entre o Natal e o Ano Novo, vamos sempre passear, nem que seja fazer compras fora de cá. Ah, hoje fui matar patos (hum!!) e segunda feira vou matar frangos, quer dizer, eu não os mato, só ajudo a depenar eh eh. Por fim, há sempre família e amigos para reencontrar e presentes para distribuir!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Boas Festas


Caros leitores, que são cada vez mais, não tenho escrito porque ando atarefada com o Natal.
Ah, ah, ah!!! Quem me conhece, sabe que não é bem assim.
No entanto, mesmo que o não gostemos particularmente desta época, haverá sempre afazeres associados: despachar trabalho para poder ir de férias, comprar presentes de última hora, enviar presentes para os que estão mais longe mas sempre no nosso coração, preparar receitas e refeições típicas da época e conviver em diversos encontros natalícios.

Assim sendo, aproveito para desejar Boas Festas aos meus leitores.
Sim, boas festas é o que se deve desejar porque serve para incluir o Natal e o Ano Novo, bem como poderemos estar a desejar "feliz natal" a quem não o celebre e pode não calhar bem.
Dentro de dias, irei publicar, como de costume, o meu balanço deste (terrível) ano que agora termina.
Até breve e muitas gulodices no sapatinho!

sábado, 17 de dezembro de 2016

Sobre supermercados

Que eu adoro compras de supermercado, já todos sabem.
Que vou atrás de promoções também sabem.
Por outro lado, sabem também que as promoções nem sempre são as melhores do mundo e que os profissionais dos supermercados - Pingo Doce, Lidl, Intermarché e Continente - nem sempre são os mais profissionais do mundo (isso nenhum de nós é, mas quando mexe com a nossa carteira, o caso é diferente).
Por tudo isto, na sexta-feira decidimos que, em Montemor, só um raríssimas excepções é que iríamos a outro supermercado que não seja o Lidl.
Está decidido!

Sobre inseguranças

Apesar das coisas simpáticas que dizem sobre mim, eu sou, definitivamente, uma pessoa insegura.
Parte desta insegurança, deve-se ao facto de estar rodeada por pessoas que raramente erram e transportam essa sua força para cima de mim, insegura.
Portanto, eu sou naturalmente insegura e tenho, todos os dias, um grande medo de errar, em cada passo que dou. Posso tentar melhorar? Sim, claro, buscando a confiança todos os dias, também em cada passo que dou.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Madrinha


"ma·dri·nha 
substantivo feminino
1. Mulher que serve de testemunha em baptizado ou casamento (com relação ao neófito ou ao nubente).

4. [Figurado]  Protectora"


Entre outras coisas, estas são duas das definições de madrinha no dicionário Priberam.
A minha madrinha tem sido isto e muito mais ao longo dos meus 34 anos de vida.
Quanto foi minha madrinha, tinha 16 anos.
Feitas as contas, e sendo hoje o dia do seu aniversário, a minha madrinha faz hoje 50 anos.
Por isso, hoje é um grande dia: o aniversário de uma verdadeira madrinha.
Parabéns, Madrinha!